O Evangelho e os Evangélicos

Vamos comemorar como idiotas a cada fevereiro e feriado
(Renato Russo)
Hoje, aqui no DF, é dia do evangélico. O evangélico deveria ser aquele comprometido com evangelho. Porém quando se fala de evangélico, você pode imaginar várias coisas e práticas inclusive opostas ao evangelho. Justamente por esse motivo, vejo pouco o que se comemorar nesse dia:
1. Não podemos comemorar as novas revelações. Tem mais peso para a grande maioria dos evangélicos as revelações que um anjo ou “Espírito” faz aos pastores, bispos e apóstolos do que o próprio evangelho revelado nas Escrituras.
2. Não podemos comemorar o legalismo hipócrita. A santidade para muitos evangélicos não é baseada no evangelho e sim em listas infinitas de regras legalistas. Não pode tomar coca-cola, não pode beijar na boca, não pode escutar “música mundana”, e por aí vai. Se os evangélicos fossem de fato comprometidos com o evangelho, dariam atenção ao apóstolo Paulo que diz que essas coisas não têm valor nenhum contra a sensualidade.
3. Não podemos comemorar o esquecimento de principios. Definitivamente os princípios do evangelho estão fora da maioria da igrejas evangélicas. Outro dia, ao embarcar em um taxi em São Paulo, conversei com a taxista que era evangélica e homossexual e não via conflito nenhum em sua prática.
4. Não podemos comemorar a desnutrição espiritual. Os evangélicos se empanturram de besteiras que fazem mal à saúde. Alimento saudável é raro. O resultado é bem perceptível, as igrejas evangélicas estão “obesas”, lotadas de fiéis mal alimentados e descomprometidos, ou melhor, comprometidos com tudo, menos com a Palavra.
5. Não podemos comemorar o anfalbetismo bíblico. A mesma taxista citada acima, afirmou-me convictamente que não havia um só versículo na Bíblia contra a prática homossexual. O mais engraçado de tudo isso é que quando você visita uma livraria evangélica, o que mais tem é Bíblia. Isso me leva a concluir que ou os evangélicos precisam ser alfabetizados biblicamente, precisam aprender a ler a Bíblia.
6. Não podemos comemorar as adorações esdrúxulas. Sobre isso leia o post do Rev. Augustus Nicodemus: http://tempora-mores.blogspot.com/2009/10/loucura-do-evangelho-ou-as-loucuras-dos.html
7. Não podemos comemorar o “evangelho insano”. Aqui no Gama, uma cidade do DF, existe uma igreja de “adoradores insanos”. Eu não sei o nome da igreja, sério mesmo. Mas sempre vejo as propagandas dos cultos espalhadas pela cidade: “culto insano”, “geração insana”, “congresso insano”… Fico curiosa para saber o que os “adoradores insanos” dizem sobre o culto racional mencionado por Paulo em Romanos, e sobre o fato do Deus da Bíblia, ser um Deus de ordem, de coerência e exatamente por isso reestabelecer em nós a sanidade.
8. Não podemos comemorar a apatia social e cultural. O “evangelho” dos evangélicos não provoca transformações sociais e culturais. Posso pegar como exemplo apenas o viés político. Alguns políticos evangélicos estão comprometidos com os intereses dos evangélicos e não com a população. A política não se torna melhor por causa dos evangélicos que estão lá. O hilário é que nas vésperas dessa comemoração, estoura no DF uma série de denúncias de pagamento de propina, formação de quadrilha e corrupção envolvendo o governador, o vice – que se diz evangélico – e vários outro que também são pastores. Parece piada, mas infelizmente não é.
Talvez eu pudesse listar 30 motivos para não comemorar o dia 30, mas vou poupar os meus poucos leitores de tantas delongas.
Provavelmente alguns vão ler esse texto e fazer críticas do tipo: “pelo menos a igreja está crescendo” “não podemos julgar os irmãos” “vamos trabalhar juntos e pregar o evangelho e não ficar perdendo tempo criticando” blá, blá,blá…. Respondo desde já que esses argumentos são furados. O Islamismo e o Budismo também crescem, até mais que o cristianismo evangélico, e no entanto não pregam a verdade; essa história de não poder julgar o irmão parte de uma interpretação errada dos textos bíblicos. A conduta de Jesus demonstra que ele sempre se posiciona quando a Verdade é atacada; quanto a se unir pra pregar o evangelho, sinceramente, pregar que evangelho?
Peço desculpas aqueles que ainda se intitulam como evangélicos e não compactuam com o que falei acima. Sei que nas igrejas evangélicas, sejam elas tradicionais, pentecostais ou neopentecostais tem muita gente séria, comprometida com a Verdade, e a nossa luta deve ser para que o mundo conheça essa Verdade, conheça o evangelho, bem diferente desse pregado, vivido e comemorado no dia de hoje.
Anúncios

6 comentários on “O Evangelho e os Evangélicos”

  1. uau, que post bom.

    Estava lendo a Bíblia hoje e meditei em um versículo, lá de Levítico (10:10)

    “para fazerdes diferença entre o Santo e o profano e entre o imundo e o limpo”

    Essa diferença e transformação só conseguimos com Jesus! O amadurecimento e a limpeza quem nos dá é o Espírito. Quem sabe, assim, possamos aprender a adorar, glorificar e gozar para sempre o nosso Deus.

    Que a PALAVRA dEle seja o centro de nossa fé, nosso guia. Quem tem outro manual e prefere práticas legalistas e nada bíblicas, me desculpem, não podem ser chamados de evangélicos. Muito bem colocado seu texto! Beijos

  2. Michele diz:

    AMei seu post, comentei isso com minha mãe. Tb não tenho “nada” para comemorar!

    ouvi falar que nessa igreja do evangelho insano o Pastor fala coisas absurdas como que é proibido beijo na boca entre namorados porque é o principio do ato sexual. Me disseram que ele chegou a dizer, no meio de uma pregação, que sente “Tesão” só de ver a mulher dele andando pela igreja!! 0_o

    Gostaria que fosse feriado no dia 31 de outubro – Dia da Reforma protestante – nesta data tenho muito para comemorar!!!

    Mas como a maioria dos evangelicos nem sabem que dia é esse =(
    temos que ficar com esse feriadinho!!!!

  3. Hoje, estava lendo Isaías as palavras para o povo daquela época… E acho que se aplicam muito bem ainda nos dias de hoje:

    “Eles dizem aos videntes: Não tenhais visões; e aos profetas: Não profetizeis para nós o que é reto; dizei-nos coisas aprazíveis, profetizai-nos ilusões; desviai-vos do caminho; apartai-vos da verdade; não nos faleis mais do Santo de Israel.” (Isaías 30:10,11)

    As pessoas parecem preferir viver de ilusões e inverdades a encarar o fato de que a Bíblia é suficientemente a verdade…

    Lutemos, então, por essa verdade, simples e libertadora! =]

    (Mas assim… Eu gosto do feriado… rsrsrs) =P

  4. Levy Sabino diz:

    Querida Ivone,
    comungo com vc em seu parecer sobre a triste história que a igreja escreveu ao longo do tempo.
    Entretanto, ainda me intitulo evangélico, ainda que o termo esteja desgastado ou, pior que isto, difamado.
    Titular-me apenas de cristão, eu ficaria nas fileiras comuns de algumas facções religiosas que assim se titulam, mas que negam em seu âmago doutrinário a autenticidade que o termo propõe: discípulos de Cristo. O termo evangélico, fielmente evangélico, se torna, assim, o elemento diferenciador.
    Portanto, o que precisa mudar não é o termo, mas a mente dos que professam a fé evangélica, pois qualquer outro termo que se estabelecesse, tornar-se-ia brevemente desgastado e difamado tanto como o substituído.
    Naquele que nos chamou das trevas para a Sua marvilhosa Luz!

  5. Samuca diz:

    Olá, gostei muito de seus artigos, gostaria de te convidar para partipar de uma rede de troca de conteúdo, para mais detalhes me adiciona no msn co_herdeiro@hotmail.com ou me manda um email ok. Abraços. Samuel


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s