Vinte Nove

Hoje, remexendo em alguns arquivos aqui, achei um arquivo com os textos do meu antigo blog. Coisas de 4 ou 5 anos atrás. É uma experiência muito interessante ler algo que escrevemos há alguma tempo.
Nessas postagens eu tinha publicado um poema que vale a pena ser republicado. Foi feito em uma época muito especial e para pessoas muito especiais. A autoria é do meu amigo, Fabrício Costa.
Vinte Nove
Nas fotos ficamos tão estáticos
tudo parece sem vida:
Um sorriso, uma boca aberta,
Contar estrelas, contar histórias
Brincar de rever o passado
E fazer feliz o presente,
Muitos amigos já se foram
Outros tantos virão
E o tempo que esolhe
Pelo calendário
Será para sempre único
Um caminho sem volta
Vamos ver um vídeo
Com gente sorridente
Cansei das fotos,
Cansei de forçar a mente
Com lembranças difíceis
Porque sei que um sorriso
É bem mais que uma boca aberta
Por que o tempo não pára?
Porque uma hora de tristeza
Dura mais que uma hora de alegria?
(Fabrício Costa)
Anúncios

One Comment on “Vinte Nove”

  1. Tai diz:

    Como as coisas mudam e às vezes a gente nem se dá conta, né?!
    Encontrei recentemente um diário meu de quando eu tinha uns 16 anos…nossa, quanta coisa diferente! É uma experiência interessante mesmo!
    Seu blog está lindo!
    Beijo!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s